Laboratório Musical Rumpilezzinho recebe Roberto Mendes

O violonista e cantor Roberto Mendes encerra o ciclo de aulas abertas do Laboratório Musical Rumpilezzinho. O instrumentista, reconhecido por sua longa pesquisa e ponte estabelecida entre a tradição e a modernidade, partilhar sua experiência e conhecimento com os jovens músicos do projeto, dirigido pelo Maestro Letieres Leite. O evento acontecerá no dia 20 de novembro, segunda-feira, das 16h às 19h, com entrada franca, no CFA Centro de Formação em Artes (Rua do Bispo, ao Lado do 18º Batalhão da PM, Pelourinho). Aberto ao público interessado, o encontro busca promover a troca de experiências de músicos de referência na cena baiana com jovens e estudantes.

O encontro com Roberto Mendes encerra o ciclo de aulas públicas, que contou com nomes como o cantor Lazzo Matumbi, o griô Doudou Thione, a percussionista Viviam Caroline e o baixista Toni Duarte. Dirigido pelo Maestro Letieres Leite, o Laboratório Musical Rumpilezzinho promove a formação de jovens músicos por meio do método UPB (nome que homenageia o Universo Percussivo Baiano), que reflete e observa a música de matriz africana como recurso para a educação musical brasileira.

“Tenho uma observação da música de Robeto Mendes desde o final dos anos 70, o modo como ele pesquisa e guarda as informações da música do Recôncavo, notadamente a chula. Para nós que pesquisamos a musicalidade de matriz africana, observar a produção que vem dessa região é algo já precioso, pois foi dali que vem a matéria prima que formou a música brasileira” explica maestro Letieres Leite. Segundo ele, a música produzida no Recôncavo nutre a Música Popular Brasileira, desde o samba até a música orquestral e Roberto Mendes é uma espécie de arqueólogo dessas sonoridades, conseguindo dissecar suas estruturas, trazendo uma pesquisa profunda sobre ancestralidade, mas também reflexões intelectuais, históricos e técnicos sobre essa produção.

Roberto Mendes - O violonista, compositor, intérprete Roberto Mendes é a mais completa tradução do Recôncavo. Desde criança, com os irmãos, aprendia a cultuar o violão, e na sua terra Santo Amaro da Purificação conheceu os músicos Dilermando Reis e Dino Lopes. “Foram eles que me informaram o que era a chula e suas variantes”, confessou. “Eu sou uma pessoa privilegiada porque conhecer a chula na fonte e não através de discos ou de rádio. Foi através de seus criadores, pessoas que me ensinaram tudo o que sei. Eu não sou a fonte, só faço a ponte. Quisera eu ser um chuleiro, pois isto é mais nobre. O que sei bem é copiar”, brinca, modestamente.

A grande contribuição de Roberto Mendes à música popular contemporânea foi o resgate de um dos gêneros mais populares e cultuados no recôncavo baiano: a chula. Estilo híbrido de harmonia europeia e ritmo originário do batuque africano, a chula ficou restrito à tradição. Ponte entre a tradição e a modernidade, entre o passado e o presente, resgatando gêneros esquecidos, ampliando o painel da música regionalista ou misturando-a com estilo contemporâneo, o compositor e violonista Roberto Mendes é um dos mais inventivos músicos baianos da nova geração. Aplicado aluno dos ensinamentos tropicalistas do conterrâneo Caetano Veloso e discípulo confesso do eclético violão de Gilberto Gil, Mendes revela-se um músico-síntese, cabeça de ponta de um movimento em crescente depuração.

Laboratório Musical Rumpilezzinho - O Laboratório Musical Rumpilezzinho promove a formação de um total de 75 jovens com idades entre 15 e 25 anos, tanto apresentando uma metodologia diferenciada de ensino de música, pensada a partir da matriz afro-baiana e suas ramificações, bem como a profissionalização e a multiplicação do conhecimento.

A iniciativa integra o conjunto de ações que compõem o ano III do Laboratório Musical Rumpilezzinho, uma realização do Instituto Rumpilezz, contando com o patrocínio da VIVO e do Governo do Estado da Bahia, por meio do FAZCULTURA, da Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia.

Serviço

Aula Aberta do Laboratório Musical Rumpilezzinho

Letieres Leite convida Roberto Mendes

Dia 20 de novembro , das 16h às 19h

na  CFA Centro de Formação em Artes (Rua do Bispo, ao Lado do 18º Batalhão da PM, Pelourinho).

Aberto ao público